Estratégia de vendas: Conteúdo vende, e muito.

O E-commerce Brasil, maior portal brasileiro de e-commerce, publicou nessa quarta-feira (12/02/2020), artigo feito por Andrea Miranda, CEO da Standout. Onde explica quão importante é ter estratégia para vendas online. Confira abaixo:

“Ter uma estratégia de vendas online não é uma opção e, sim, uma necessidade. Atualmente, 27% da população brasileira já compra pela internet e em 2018 o varejo online apresentou um crescimento de 12%, contra 2,3% do varejo como um todo.

Motivados pela conveniência de comprar a qualquer momento, pela praticidade de não precisar se deslocar a uma loja – onde o produto talvez nem esteja disponível – e estimulado pela possibilidade de obter mais informações, os consumidores assumem um comportamento cada vez mais digital.

Digital e mobile

Segundo o relatório Webshoppers, os acessos a sites de e-commerce a partir de smartphones saltaram 40% em 2018 e representaram 42,8% de todos os acessos no início deste ano. Para quem está no e-commerce também é preciso pensar primeiro no mobile.

O cliente está o tempo todo com seu celular nas mãos (segundo o Google, em média acessamos nossos smartphones 150 vezes por dia) e, com isso, quem desenvolve uma boa estratégia mobile tem mais chances de estabelecer um relacionamento duradouro com o consumidor.

No momento de estabelecer o relacionamento com o consumidor, grande parte do varejo online continua pecando. De acordo com o relatório anual do E-commerce Radar, a taxa média de abandono de carrinho (quando o cliente
adiciona algum produto e não finaliza a compra) é de 82%.

Para a indústria, isso significa uma grande oportunidade perdida. Todo o investimento realizado para atrair o consumidor para sua marca é desperdiçado quando a navegação no site é confusa, a página de produto não desperta o desejo de consumo ou o processo de checkout é complexo.

Embora boa parte das ações de melhoria da experiência de consumo seja de responsabilidade do e-commerce, a indústria não está de mãos atadas. Assim como acontece no ambiente físico, em que ações de trade marketing e
ativações no PDV influenciam diretamente a decisão de compra do consumidor no e-commerce é possível gerar diferenciação para as marcas nas páginas de produto.

 

Estratégia de vendas

No ambiente digital, o cliente pode comparar rapidamente todas as possibilidades de marcas e preços. Ainda assim, segundo o eBit, 56% dos consumidores desistem de comprar por não ter informações suficientes sobre os itens que desejam adquirir. Trabalhar com imagens, vídeos e conteúdo relevante é uma forma de alcançar uma diferenciação importante, oferecer informações no contexto desejado pelo cliente e estimular as vendas.

Quando a indústria produz uma vitrine para um produto, apresentando um layout interessante e interativo, imagens, textos e vídeos com explicações de como usar, dicas de especialistas, receitas e outras informações relevantes para
o universo do consumo daquele item. Além disso, entrega esse conteúdo de forma responsiva para que tenha boa leitura em qualquer aparelho mobile. Com isso, a indústria se destaca em relação a seus concorrentes.

Por ser feita pela própria indústria, a comunicação é elaborada por especialistas e está naturalmente alinhada aos pontos de contato offline, quer seja mídia impressa, tv ou ações de trade no pdv, complementando essa mídia tradicional. Depois que a publicidade atrai o cliente, a vitrine online dá sequência ao discurso da campanha, garantindo que o consumidor receba uma mensagem consistente durante toda a jornada de compra.

O resultado é um aumento significativo das vendas. Dos nossos clientes que passaram a produzir vitrines online com mais informações relevantes contextualizadas sobre seus produtos, vimos um aumento médio de vendas de 60%, com um crescimento de 252% no tempo médio dos usuários nas páginas, além de um aumento médio de 25% no fluxo de público. São mais pessoas interagindo por mais tempo com sua marca e gerando resultados efetivos de venda.

A indústria tem caminhos para melhorar o desempenho das vendas online obter uma real diferenciação em relação aos concorrentes. As respostas se tornam mais visíveis quando saímos do jeito tradicional e pensamos em como o
cliente se comporta e na experiência que ele gostaria de ter no momento de decisão de consumo. Os resultados compensam e muito!”

FONTE: E-commerce Brasil – Estratégia de vendas: Conteúdo vende, e muito.

 

Trade Marketing Digital x Trade Marketing Tradicional.

O Trade Marketing é uma das maiores estratégias utilizadas pelas marcas no mercado mundial. As empresas investem em Trade Marketing, em média, de 10% a 15% de seu faturamento. Mas muita gente se pergunta a diferença entre o Trade Marketing Digital e o Tradicional.

No trecho do vídeo abaixo, nossa CEO, Andrea Miranda explica com clareza essa diferença e, como ambos são necessários atualmente.

 

Tecnologia, modelos de negócio e disrupção: confira todos os detalhes do palco Startup Expo, no Fórum E-Commerce Brasil 2018

Entre os dias 14 e 16 de agosto, aconteceu o Fórum E-Commerce Brasil 2018 que recebeu mais de 150 expositores e milhares de congressistas para debater tecnologia, inovação, varejo e soluções para startups. O Startup Expo, realizado pelo STARTUPI, contou com uma área de 400 metros quadrados dedicada à exposição de 13 startups selecionadas, onde aconteceram palestras riquíssimas em conhecimento para o público, troca de soluções e muito networking. Com dois dias de evento, algumas startups puderam deixar seu depoimento, confira o da Standout:

Fonte: Startupi

Veja mais em: https://startupi.com.br/2018/08/tecnologia-modelos-de-negocio-e-disrupcao-confira-todos-os-detalhes-do-palco-startup-expo-no-forum-e-commerce-brasil-2018/

 

A nossa ferramenta permite entender como o consumidor interage com seus produtos

Matéria da Venda Mais: A ferramenta da Standout é a solução de trade marketing para marcas e indústrias que precisam criar vitrines de produtos diferenciadas para e-commerces em real time diretamente na página de produto de mais de 50 varejistas. Disponibilizando ainda diversas informações gerenciais, incluindo Standout Heatmap, que são mapas de calor para descobrir o comportamento do usuário enquanto navega pela vitrine, permitindo entender como o consumidor interage com seus produtos.

Fonte: Startupi

Veja mais em: http://www.vendamais.com.br/vitrine-de-produtos-nos-e-commerces/

A página de produto é decisiva: Ela precisa ser perfeita!

O e-commerce continua aumentando seu crescimento​ e os consumidores estão comprando cada vez mais. O dinheiro está migrando para o mundo digital. As vendas on-line estão projetadas para exceder R$ 84 bilhões em 2021* no Brasil!

Ao mesmo tempo, o cenário competitivo cresceu. Mais conectados e capacitados, os compradores de hoje não se contentam apenas dados técnicos ou ​meros textos, eles gostam experiências digitais imersivas e envolventes. Já não é suficiente ter uma boa estratégia de marketing e um serviço ao cliente de alto nível. O sucesso no momento crucial em que o consumidor se depara com o botão “Comprar” depende, e muito, da qualidade da página do produto nos e-commerces.

A importância da página do produto não pode ser negligenciada. É o coração e a alma da marca, a vitrine digital para ganhar clientes e gerar receita. Ela precisa ser boa e convincente! Construir uma página que dá vida ao produto e o destaca não é uma tarefa fácil. Mas fazer tudo certo traz MUITO resultado.

Vamos começar com a qualidade. A capacidade de fornecer informações relevantes sobre produtos, comprovadamente aumentam tanto a satisfação do cliente quanto as conversões. A partir de imagens impactantes, vídeos e textos vendedores pode-se aumentar as vendas em média de 60%.** O conteúdo da página do produto não deve apenas informar e envolver, mas também gerar confiança e motivar a compra.

O mecanismo de entrega de conteúdo e a forma como uma página é exibida são igualmente cruciais. A realidade é que os consumidores de hoje estão igualmente confortáveis comprando on-line quanto nos corredores de uma loja e esperam experiências confortáveis em todos ambientes. Enquanto isso, o celular mudou a maneira como compramos. 82% dos compradores dizem que pesquisam no celular antes de tomar uma decisão de compra e 36% dos consumidores usam seus telefones para obter informações sobre produtos dentro da loja física. ***

Isso significa que é vital que a informação do produto seja exibida de forma rápida, responsiva e homogênea, não importando a tela, navegador ou os sites de varejo. Esta uniformidade proporciona um maior controle sobre a mensagem da marca e cria uma experiência de compra consistente, onipresente e satisfatória. Fornecer esta ótima experiência depende muito de ter a tecnologia certa à sua disposição; algo que é projetado para inovar e atender aos hábitos de compras em constante evolução.

A mensagem é alta e clara: as marcas e os varejistas de hoje enfrentam ​muita pressão para manter o conteúdo rico e envolvente. Criando histórias de produtos que são emblemáticas, com conteúdo que se conecta com os consumidores em um nível mais profundo,  não apenas agradável.

Os consumidores exigem excelência, consistência e qualidade. Responder rapidamente para cumprir essas demandas com páginas de produtos tão perfeitas quanto possível é fundamental para ganhar a venda na última milha: A página de produto.

Ricardo Pinheiro – Standout : Inteligência em Trade Marketing Digital

* Relatório Google Outubro de 2016

**Resultados de inúmeros Testes A/B realizados pela equipe de análise de dados da STANDOUT

***Bazaar Voice 2016

 


Ricardo Pinheiro - Head of Sales

STANDOUT : Inteligência em Trade Marketing Digital 



* Relatório Google Outubro de 2016 

**Resultados de inúmeros Testes A/B realizados pela equipe de análise de dados da STANDOUT

***Bazaar Voice 2016

A guerra pelo consumidor. Trade marketing… (digital?)

Estive pensando sobre a questão estratégica do trade marketing convecional ao mesmo tempo em que avaliava o perfil dos consumidores nos dias de hoje. Como o consumidor hoje tem acesso a muito mais informação, consequentemente ele se tornou mais exigente, crítico, informado, entende como comparar os produtos e tem uma segmentação muito mais relevante.

Resolvi conversar com alguns amigos que trabalham com trade convencional e o pessoal me disse que hoje a batalha (usaram de eufemismo, é uma verdadeira guerra) no ponto de venda, é constante, pois cada marca/produto está buscando mais espaço em loja, uma melhor exposição do seu produto, ter seu material de merchandising no local mais estratégico, enfim, um cenário bélico, recheado de batalhas em diversas frentes.

 Você pode ganhar muitas batalhas, mas a guerra da concorrência só é ganha no ponto de venda. Paul Polman CEO Unilever

Vendo que o pessoal do trade marketing investe em material promocional, pessoal, ações, displays, e mais uma gama imensa de “armas” para vencer essa batalha, notei que muitas vezes eles não tem acesso ao armamento correto, quando se trata do trade marketing digital, uma ferramenta muito importante: o conteúdo da página de produto nos e-commerces.

Vou exemplificar o que pode ser feito na página de produtos: ao invés de termos apenas o botão comprar, o preço e a imagem de produto, podemos ter um material rico, com vídeos, fotos, texto, mostrando os benefícios do produto, afinal é ali que acontece a compra no mundo digital!

Para vencer uma batalha podemos atacar apenas uma frente, mas para vencer a guerra temos que dar atenção a todos os detalhes, seja no PDV ou na internet.

Ricardo Pinheiro – Head of Sales – STANDOUT

Standout recebe aporte de GVAngels e Bossa Nova Investimentos

A Standout criou uma ferramenta capaz de organizar os produtos nos e-commerces como uma vitrine virtual, possibilitando inserir informações mais precisas melhorando a experiência do consumidor. Isso chamou atenção do GVAngels, grupo de investidores-anjo formado por ex-alunos da Fundação Getúlio Vargas, e da Bossa Nova Investimentos. “Além da ideia empreendedora, a Standout chamou a nossa atenção por apresentar uma plataforma robusta, com boa tração de vendas e que está efetivamente solucionando o problema de muitas companhias”, afirma Jad Antoun, investidor líder no processo de due diligence pelo GVAngels.

Fonte: Startupi

Veja mais em: https://startupi.com.br/2017/11/standout-recebe-aporte-de-gvangels-e-bossa-nova-investimentos/

O que é storytelling?

Venda mais contando boas histórias sobre como o seu produto faz parte da vida dos seus clientes

Storytelling é a capacidade de contar histórias de maneira relevante, onde os recursos audiovisuais são utilizados juntamente com as palavras. É um método que promove o seu negócio sem que haja a necessidade de fazer uma venda direta, em outras palavras, o Storytelling tem um caráter muito mais persuasivo do que invasivo.

O Storytelling é muito utilizado no Marketing e na Publicidade. A ferramenta se destaca pela capacidade de estreitar a relação entre uma marca e o seu consumidor final. Um ótimo aliado para compartilhar ideias, conhecimento e demais interesses através de uma narrativa.

A arte de contar histórias

O intuito de contar uma história é encantar e cativar a uma audiência. Logo, é importante ter a noção exata do seu público alvo, para que a mensagem seja a mais personalizada e assertiva possível.

Uma história interessante é a soma de alguns fatores muito bem alinhados: palavras e vocabulário adequado, um enredo inteligente e provocativo, personagens que representem anseios, dores e a realidade daqueles que receberão a mensagem em questão, além de elementos e suporte visual, tais como: imagens, ilustrações diversas, vídeos e similares – compondo uma colcha de retalhos capaz de emocionar, entreter e persuadir o seu receptor.

Marketing na atualidade: O storytelling é a bola da vez?

Esse destaque se dá pelo fato do bombardeamento de informações que recebemos diariamente, o chamado Big Data – milhões de sites, blogs, veículos online e possibilidades de receber notícias, informações e mensagens. Esse processo de massificação da informação tem refinado a capacidade de crítica, análise e percepção do público, que tem adotado uma postura de rejeitar o chamado “Marketing Tradicional” ou intervenções que visam “forçá-lo” a comprar ou agir de determinada maneira.

Quando a sua marca tem uma narrativa interessante e apresenta seu produto de maneira sutil, o seu potencial cliente fica mais próximo do seu negócio, criando uma relação benéfica entre consumidor e empresa.
O estreitamento da relação entre as duas partes envolvidas no processo gera o engajamento necessário para alavancar vendas de uma maneira indireta, subjetiva e muito mais emocional – com uma produção de conteúdo mais leve e direto.

O Storytelling no Marketing Digital

O storytelling é muito utilizado como uma estratégia no Marketing Digital, seja em lançamentos de novos produtos ou para fidelizar os clientes de uma marca a partir de mensagens diversas.

Abaixo preparamos para você, os princípios para criar uma narrativa eficiente:

● Visual;
● Interativa;
● Usar diálogos reais;
● Ter um personagem, que seja identificado com público que deseja atingir;
● Despertar emoções;
● E por fim, existir algum conflito que no final da narrativa seja resolvido.

A importância do storytelling no marketing digital?

O storytelling é dotado de um forte apelo emocional, uma variável constante nos processos de compra no mercado B2C. Logo, o objetivo do storytelling é gerar mensagens mentais aos visitantes do seu site, blog ou meios de comunicação

Porém, antes de adotar a storytelling como estratégia para sua marca ou produto, é importante que você conheça muito bem as suas personas. É muito importante que você envolva a marca na história que você vai contar. Um case a ser analisado e estudado é a Coca-Cola – que cria uma atmosfera motivacional e aspiracional. A empresa vende felicidade e desejo de revolução pessoal e, implicitamente leva o seu produto, até mesmo para pessoas que contestam os aspectos ligados à saúde do refrigerante.

O fenômeno Coca-Cola gera, diariamente, milhões de compartilhamentos e citações sobre as peças criadas nos mais diversos meios digitais. Um processo que evangeliza o consumidor final e propaga a marca em todos os cantos do mundo.

Quando estuda seu público-alvo, você saberá o momento e maneira certa de investir em storytelling. Lembrando sempre que não existem regras para a criação da storytelling e sim que seja atrativa ao seu potencial cliente e que também engaje esse público com a sua marca ou produto.

“O storytelling é um processo que ajuda a criar histórias incríveis”

Ao contar uma história você desperta gatilhos mentais nas pessoas que estão vendo, é um processo totalmente emocional que influência na decisão das pessoas.

Podemos dizer que storytelling é uma ferramenta de persuasão, que influência as pessoas a fazerem negócio com você e também passam a ter a sua marca como referência.

Como o Storytelling afeta o cérebro

Você já deve ter notado no YouTube, que os anúncios vem seguindo uma tendência de história narrada por algum personagem, sendo ele fictício ou não. Agora vou mostrar como essa estratégia de storytelling afeta seu cérebro.

Transforma história em ideias: Uma história ativa partes do cérebro que permite que o ouvinte para transforme a história em sua própria ideia e experiência graças a um processo chamado de acoplamento neuronal.

Experimenta, comenta e compartilha: Os pessoas não só vão experimentar uma a atividade cerebral através da sua história, mas também irão compartilhar e comentar da sua história.

É lembrada com maior precisão: O cérebro libera dopamina no sistema quando ele experimenta um evento emocionalmente carregado, tornando-o mais fácil de lembrar com maior precisão.

Histórias bem contadas envolvem muitas áreas do cérebro: Ao processar fatos, duas áreas do cérebro são ativadas (área de Wernicke e de Broca). Uma história bem contada pode envolver muitas áreas adicionais, incluindo o córtex motor, córtex sensorial, e no córtex frontal.

Deixo para vocês uma dica: Tenha sempre uma estratégia junto ao seu storytelling. Pense da seguinte maneira: História + Estratégia = Sucesso!
Fonte: novaescolademarketing.com.br

O que faz um profissional de trade marketing?

Você já deve ter ouvido falar em pessoas que trabalham com o trade marketing. Mas você sabe o que é e o que faz um profissional de trade marketing? 

Neste post, vamos explicar um pouco mais sobre essa derivação do marketing e quais são as funções de quem trabalha na área. Ficou interessado? Então confira as informações abaixo!

 O que é trade marketing?

 O trade marketing é uma das partes que compõem uma estratégia de marketing de empresas que querem aumentar suas vendas e buscam a diferenciação dos seus produtos ou serviços em pontos de venda (PDV). 

 Atualmente, é uma disciplina que compõe a grade dos cursos de marketing e tem por objetivo orientar e fortalecer as relações entre fornecedores e os canais de venda, buscando suprir as necessidades das empresas, dos PDVs e dos consumidores.

trade marketing compreende a necessidade da adaptação dos produtos, da logística e das estratégias de marketing, buscando conquistar o consumidor no PDV, levando em conta que 76% das decisões de compra acontecem nesse local. Essa nova tendência pode ser justificada devido ao aumento da relevância do merchandising e das promoções realizadas dentro das lojas.

O que faz o profissional de trade marketing?

Por meio da análise dos hábitos e das preferências dos consumidores em geral, esse profissional traça estratégias de marketing e vendas, definindo quais mídias serão utilizadas, quais produtos serão desenvolvidos e como eles serão comercializados — a fim de atender às necessidades e vontades do seu target (público-alvo).

O profissional de trade marketing é o responsável por muitas tarefas, que vão desde a definição dos canais foco de atuação até a realização de eventos.

Em pesquisa realizada pela Instituto Nacional de Vendas e Trade Marketing (INVENT), identificou-se que os profissionais de trade marketing atuam principalmente no controle de verbas promocionais, na identificação de oportunidades de negócio em cada canal de distribuição, na implantação em campo de estratégias de marketing e na coordenação e implementação do plano de marketing por canal.

Esse profissional atua constantemente em conjunto com o time de vendas, controlando ações de venda e o giro de produtos, estabelecendo um canal de comunicação entre o marketing e a vendas, e desenvolvendo políticas de preços entre os canais de distribuição.

Como trabalha com os clientes?

O profissional de trade marketing também atua junto aos clientes, sendo esse o seu foco principal, devendo conhecer seus hábitos a fundo a fim de desenvolver novas ferramentas de gestão junto ao cliente e reconhecer a necessidade de se capacitar o cliente para aumentar suas vendas.

Além de todas estas funções, o profissional de trade marketing pode ser responsável pela gestão de promotores de ponto de venda, organização de eventos, planejamento estratégico, merchandising, auxiliar no desenvolvimento de produtos de acordo com a necessidade de cada canal de venda, organizar o lançamento de novos produtos no mercado e realizar uma avaliação dos resultados obtidos em cada ação e em cada canal.

E aí? Gostou de saber um pouco mais sobre o profissional de trade marketing? Então siga nossa página no Facebook e fique por dentro de muitas outras informações sobre gerenciamento de informações e campanhas de marketing promocional.

Matéria base: www.becinteligencia.com.br

Startups apresentam pitches durante Fórum E-Commerce Brasil 2017

A Arena de Empreendedorismo do Fórum E-Commerce Brasil 2017 recebeu, nos dias 26 e 27 de julho, dois DemoDays com startups de diversos segmentos. Com o apoio do Movimento 100 Open Startups, se apresentaram empresas do segmento de Inteligência Artificial, Lawtech, Marketing Digital e muito mais.

No dia 26 a Standout, se apresentou. A startup é uma plataforma de publicação de vitrines em lojas online, que realiza uma ponte entre as indústrias e os sites de e-commerce.

A empresa torna a experiência de compra online mais próxima a uma experiência de loja física, por meio de vitrines mais claras, conteúdo mais rico, completo e dinâmico. A startup também gera relatórios comparativos de visualização e mapas de calor, dando aos lojistas uma visão mais detalhada sobre a experiência de compra do usuário.

Veja mais em: https://startupi.com.br/2017/07/startups-apresentam-pitches-durante-forum-e-commerce-brasil-2017/