A IMPORTÂNCIA DO FINANCEIRO PARA SUA EMPRESA

#Standout Explica

O departamento financeiro dentro de uma instituição é crucial para manutenção, estruturação e gestão de todos os ativos e passivos que a companhia possui, além de se responsabilizar pelas contas bancárias, pagamentos de impostos e fazer a gestão de risco contábil também. Sempre seguindo as condições que a empresa se encontra no mercado e visando a alta lucratividade e maior efetividade da área para garantir o bom funcionamento da organização como um todo.

Sob a administração do setor, a empresa toma ações mais firmes e congruentes fazendo o balanço entre os recursos que a organização dispõe versus a entrada de futuros lucros e o pagamento de dividendos sem que a instituição se coloque em risco com terceiros e até mesmo quebre.

Pensando em fazer aplicações mais inteligentes e ter continuidade nas funções para a boa manutenção das atividades empresariais, o Setor Financeiro possui diversas áreas internas focadas e especializadas para cada tipo de cargo, se responsabilizando e oferecendo soluções, tais quais são:

  • Contabilidade;
  • Demonstrativos e relatórios financeiros;
  • Tesouraria;
  • Planejamento Financeiro;
  • Gestão de impostos;
  • Gestão de riscos.

O Time da Standout é responsável pelo controle administrativo financeiro: cuidam das contas a pagar e receber, e, principalmente do fluxo de caixa. E para a Silvia que já toca nossa área com maestria há 2 anos, comenta sobre como é o trabalho dentro da Standout: “A energia da Standout é 100% positiva em todos os momentos e sou muito feliz trabalhando aqui.”

Para saber mais, entre em contato conosco.

O que é Gtin/ EAN?

#Standout Explica

Com o aumento das vendas online, ouvimos muito falar sobre Gtin/ EAN, mas afinal o que é isso, você sabe? Hoje no Standout Explica iremos esclarecer suas dúvidas.

O GTIN, sigla de “Global Trade Item Number” é um identificador para itens comerciais desenvolvido e controlado pela GS1, antiga EAN/UCC. Os GTINs, anteriormente chamados de códigos EAN, são atribuídos para qualquer item (produto ou serviço) que pode ser precificado, pedido ou faturado em qualquer ponto da cadeia de suprimentos.

Em Resumo GTINs são os números de um código de barras usados ​​pelo fabricante da marca para identificar de maneira exclusiva um produto dentro do mercado global. Eles são necessários para: todos os produtos que possuem uma marca, para produtos feitos sob medida, ou para produtos artesanais, desde que sejam comercializados em grandes varejistas e vendidos em larga escala.

O GTIN é utilizado para recuperar informação pré-definida e abrange desde as matérias primas até produtos acabados, seu termo significado de “guarda-chuva” para descrever toda a família de identificação das estruturas de dados GS1 para itens comerciais (produtos e serviços). O GTIN deve ser utilizado apenas para aquele produto, desta forma, será possível avaliar preços do mesmo produto, do mesmo fabricante, com tamanho e cor em diferentes varejistas.

Ele é composto de 13 dígitos e identifica o seu produto cadastrado, é específico para seu produto, pode ser cadastrado conforme necessário. O código pode receber 8, 12, 13 ou 14 dígitos. Sendo eles: GTIN-8: é codificado no código de barras EAN-8, GTIN-12: utilizado no código de barras UPC-A, GTIN-12: codificado no EAN-13 e GTIN-14: codificado no ITF-14.

Para obter o seu código de produto é necessário se associar à GS1 Brasil, efetuando o cadastro da empresa e dos produtos. Esse cadastro não é gratuito, os valores vigentes podem ser obtidos na tabela de valores da GS1. Mais informações sobre o processo de cadastro de produtos podem ser encontradas no FAQ da GS1.

A importância do GTIN no Google

A missão do Google é organizar as informações do mundo, e organizar as informações dos produtos para compradores e varejistas é uma parte essencial dessa missão. Para provar o seu domínio nessa área, o Google quer encontrar formas fáceis de vender cliques com maior qualidade e rapidez. Desta forma, ele oferece conteúdos cada vez mais relevante para seus usuários sempre que eles pesquisam por algo.

Para o Google Shopping, exigir que os anunciantes apresentem dados padronizados e estruturados – como GTINS – em feeds de produtos, permitem que o Google melhore os seus robôs de busca para a consulta de pesquisa de um usuário, ajudando-os a encontrar seu conteúdo e produtos na pesquisa, recomendamos que os sites identifiquem claramente os produtos mencionados.

Portanto, você melhorar a compreensão do Google sobre seus produtos usando identificadores exclusivos de produto, como o número global de item comercial (GTIN), números de peça do fabricante (MPNs) e nomes de marcas.

Como a Standout utiliza do GTIN/ EAN?

A Standout tem a tecnologia aplicada nas suas vitrines levando ao seu consumidor informação fidedigna sobre o produto correspondente.

O Google reconhece que para ajudar os usuários a encontrar o produto na pesquisa, recomenda-se que tenha essa informação bem clara, com isso a Standout tem uma enorme atenção em ter esse conteúdo nas suas vitrines.

Além desta prática, usamos diversas técnicas inclusive o GS1 Smart Search (fomos a primeira empresa no Brasil a implementar),  para que o nosso parceiro, nas páginas que contêm a nossa vitrine, sejam melhor entendidos (maior confiabilidade) pelo Google. Gerando um melhor rankeamento e consequentemente maior fluxo de consumidores para as páginas com vitrine.

Quer saber sobre e isso muito mais? Entre em contato com a gente

Mães empoderadas

No mês das mães, a Standout decidiu trazer para vocês um conteúdo que merece toda nossa atenção e nosso carinho:

Mães empoderadas em tempos de pandemia.
Empoderar é muito mais que dar poder, é dar coragem! Coragem para as mulheres serem o que querem ou o que estão sendo sem culpa e sem julgamentos.

De acordo com dicionário, empoderamento é “conceder ou conseguir poder; obter mais poder; tornar-se ainda mais poderoso”. A definição do termo pode ser explicada da seguinte forma: “passar a ter domínio sobre sua própria vida; dar ou atribuir poder a: ela luta para empoderar as minorias; empoderou-se de coragem e seguiu em frente”.
O que é ser uma mãe empoderada? A resposta para sintonia entre empoderamento feminino e maternidade é o direito de amar e lutar por seus filhos! É ter o poder de escolher o momento de ter o seu filho e poder definir como irá conduzir todo o processo de maternidade.
Pode-se perceber isso nos dados do IBGE, que apontam que no Brasil as mulheres estão tendo filhos cada vez mais tarde. Nos anos 90, a média de idade era entre 17 e 21 anos para o primeiro filho, depois de 2010, a média passou de 25 a 29 anos. Afinal, não se trata apenas de amor e cuidado, mas sim de coragem, tenacidade e de uma abdicação que, apesar de muitas pessoas chamarem de instintiva, exige uma força sobre-humana. É claro que a maternidade tem suas benesses e não são poucas, mas existe um lado pouco romantizado e que, quase sempre, sobra para a mãe.
Manter o equilíbrio entre a vida pessoal, profissional e a maternidade é algo admirável, pois é mais difícil do que muitos imaginam. Mesmo com todo avanço da sociedade diante à luta a favor do feminismo, ainda é necessário um longo caminho a ser percorrido para que as mulheres possam administrar tudo isso sem julgamentos do tipo: “Tadinhos, eles ficam o dia todo na escolinha?”

É importante ressaltar que o feminismo tem um papel fundamental na maternidade. O que é ser mãe se não ser mulher forte, independente e empoderada que sabe o valor de uma vida? Ser mãe é uma explosão de feminilidade e um despertar para limites antes nunca imaginado. Então, se você é mãe, acredite no poder que sua maternidade exerce sobre suas escolhas e visões de mundo. Não há nada mais potente do que a dedicação de uma mãe em construir um mundo melhor para que seu filho possa ser feliz.

Mães empoderadas dentro do cenário pandêmico


Como se não houvesse muitos outros, um novo desafio foi dado às mulheres durante a pandemia: conciliar o trabalho e a maternidade dentro de casa. O maior desafio da maternidade atualmente para muitas mulheres, está sendo o home office com o filho em casa junto, apesar de todas as mudanças que a maternidade traz, é muito importante separar um tempo para se cuidar também.
A necessidade de compatibilizar a vida familiar com a profissional, incluindo a convivência no lar, o trabalho doméstico e a educação on-line, está criando momentos de muita tensão. Segundo a recente análise feita nos Estados Unidos pela consultoria McKinsey e a Fundação Lean In., uma em cada quatro (25%) mães com emprego está pensando em reduzir sua jornada de trabalho ou, inclusive, pedir demissão. No caso dos homens, esta situação só representa um problema para 11% dos pais pesquisados.
A rotina de home office obrigatório, está sobrecarregando muitas mulheres. Além de dar conta do próprio trabalho e da casa, a mãe ainda precisa se virar nos 30 para cuidar dos filhos e ajudá-los com aulas a distância e tudo isso em 24 horas. Isso em meio a uma rotina nova, em que o lar e o escritório se confundem, e em vez de colegas de trabalho, os filhos dividem o mesmo ambiente dos pais em horário comercial.
Lógico que essa conta não fecha, pois para as mulheres, cuidar dos filhos não se resume a garantir a alimentação e higiene. Cuidar inclui brincar, conversar, dar atenção. Como está sendo muito difícil dar conta de tudo isso, a maioria começa a se sentir frustrada e as criança mais agitadas e incomodas. Afinal, para eles é muito difícil entender que o ambiente onde eles tinham 100% da atenção, agora precisam dividir em fazer aulas, ver suas mães e não poder brincar com elas, pois elas estão trabalhando em um ambiente que antes era apenas de lazer.
Se há algo para que a pandemia está servindo é para ajudar a rever coisas, tanto em nível pessoal como profissional. Este exercício dever ser feito também dentro das empresas, para que as mães e os pais possam desenvolver seu talento no marco em que as condições pessoais permitirem.


Mães da Standout


A Standout se destaca por ser uma Startup liderada por uma mulher que reflete e inspira todas suas funcionárias com todo seu empoderamento. “Nós temos um clima bacana dentro do trabalho e eu sinto que eu posso inspirar outras mulheres da mesma forma”, diz Andrea Miranda.
Andrea Miranda é a CEO da Standout, com mais de 25 anos de carreira e mãe de um menino adolescente, ela destaca que tenta sempre ser um exemplo dentro de casa e dentro da empresa. Uma referência no empoderamento feminino, possui 65% de colaboradoras mulheres, sendo que 40% também são mães. “É difícil conseguir organizar o tempo, as prioridades. Para tudo e, em particular, na junção de tarefas da maternidade e a vida profissional. O desafio é garantir que as ações que você prioriza, enquanto mãe, possam ser consumadas.”
Graziele Koyama é mãe de uma menina de 2 anos, trabalha na parte de Relacionamentos da Standout há quase 3 anos e é um dos exemplos de como é ser uma mãe empoderada. “Ser mãe, é sem sombra de dúvidas, a melhor coisa que já me aconteceu. É uma entrega integral, um amor incondicional a alguém que sentimos crescer dentro de nós desde a gestação e vivenciamos todos os dias o crescimento ainda maior desse amor.” Ao falar da experiência de ser mãe dentro da Standout, ela completa “Ser mãe e trabalhar na Standout é algo incrível! Pois, existe uma empatia real vinda de todos os colaboradores, mesmo aqueles que não possuem filhos. Por nos sentirmos uma família, a nossa família de sangue também é tratada como algo realmente importante.”
Para Graziele que vivenciou dentro da startup todo o processo da maternidade, desde a descoberta desta notícia incrível, a licença maternidade e a adaptação para o modelo Home Office, relata como foi a experiência. “Andréa é um ser humano ímpar, não somente como líder de equipe. Me lembro de quando contei que estava grávida, eu estava cheia de medos e como ela me acolheu, desde o primeiro momento. Essa empatia se estendeu durante toda a gestação e em cada fase diferente, no nascimento, no retorno da licença maternidade e até hoje, todos os dias. A Andrea não é somente minha chefe, mas uma grande amiga. Nossa relação é de amizade e trabalho, regada com muita dedicação, amor e respeito.”
Na outra ponta temos a Thamires Palmeira, que iniciou na Standout durante a pandemia no departamento Comercial, que também nos conta como está sendo essa experiência. “Em tempos de home office, tudo se torna mais difícil e complicado. Atenção redobrada, e se antes já fazíamos dez coisas ao mesmo tempo, agora as coisas se multiplicaram e estar na Standout é isso, é ter parceiros que entendem o quanto essa rotina complicada é importante. É ter apoio para lidar com essas questões, que só quem é mãe é capaz de entender, o quanto faz a diferença se sentir apoiada.”
Thamires é mãe de 2 meninos, um de 7 anos e outro de 5 anos, uma profissional impecável, que se adaptou a toda essa realidade sem deixar a peteca cair, nitidamente uma mãe empoderada. “Alguns anos atrás, eu li um textinho que defini minha visão de ser mãe, falava assim: “Se eu pudesse dar um conselho seria esse: TENHAM FILHOS. Pelo menos um, mas se puder tenha 2,3,4…Tenha filhos! Sabendo que muito pouco você ensinará. Tenha filhos justamente porque você tem muito a aprender. Tenha filhos porque, o mundo precisa que sejamos pessoas melhores”, ser mãe foi o melhor presente da minha vida.”
E assim, nós da Standout queremos homenagear todas as mães que, em tempos de pandemia e durante toda a vida, dedicam seu tempo, se desdobram em mil para educar, cuidar e zelar pelos seus filhos. Não apenas esse mês, mas vocês merecem o nosso agradecimento todos os dias. Agradecemos especialmente a todas as mamães da Standout, por todo amor e carinho e por tudo o que vocês representam para nós. Apenas lembrem-se que investir em um tempo para se cuidar é essencial, mesmo que sejam só alguns minutinhos, é comprovado que o autocuidado tem um poder enorme e pode transformar o dia de qualquer pessoa.

O que é a área de Conteúdo?

#Standout Explica

A área de Conteúdo dentro da Standout, ou Projetos e Conteúdo, é responsável pela estruturação, desenvolvimento, manutenção e entrega de todos os projetos que entram na “casa”. São responsáveis pela criação de novas funcionalidades que enriquecem mais os conteúdos e projetos desenvolvidos; maximizando a experiência do usuário e/ou testando e aprimorando novas tecnologias que a área de TI desenvolve para sofisticar o ambiente onde são desenvolvidos todos os materiais, até mesmo para a entrega de contratos por clientes Standout.

Como funciona?

Os processos e prazos são as palavras-chave, quando chega um projeto novo, analisamos todos os materiais e após a validação, iniciamos o processo criativo embasado nas informações. Após todas as validações, subimos os conteúdos nos mais de 200 varejos parceiros e assim, a indústria e o varejo tem um conteúdo rico e diferenciado na página do produto.

Como nosso Conteúdo ajuda a aumentar as vendas?

Conteúdo é a área que tem capacidade técnica e a sensibilidade de olhar para cada projeto desenvolvido e perceber todas as diretrizes e especificações necessárias para o trabalho performar bem, para que o consumidor receba toda a informação.

 Isso faz com que a comunicação seja assertiva e coerente, fazendo total diferença quando se trata de trazer bons resultados com as vendas. Bons conteúdos agregam e auxiliam o consumidor na hora da compra, faz ele optar pelo produto quando tem segurança no que está comprando.

Ficou interessado?! Entre em contato conosco para ajudarmos na produção e distribuição dos conteúdos estratégicos da sua empresa.

Os e-commerces em datas comemorativas

#Standout Explica

As vendas online continuam a superar os números. Segundo o índice MCC-ENET desenvolvido pela Neotrust [1](Movimento Compre & Confie), em parceria com o Comitê de Métricas da Câmara Brasileira da Economia Digital (camara-e.net), o Brasil registrou um aumento de 45,17% [2]no seu e-commerce em janeiro de 2021. Comparado há 2020 foi um crescimento de 61,82%.

Esses números podem-se se dar devido ao fato de que hoje tem-se um consumidor cada vez mais omnichannel, e as empresas mais preparadas para tal demanda, afinal em 2020 todos tiveram que se adaptar e fazer acontecer no online. Já em 2021, esse público está mais habituado e confiante para a compra online, enquanto as empresas cada dia mais, tem inovado no formato online para se destacar com as vendas nos e-commerces. A Neotrust no Relatório Dia das Mães 2021, relata que também houve um aumento de 8,7% [3]no volume de campanhas patrocinadas e de 9,6% no investimento em mídia paga entre as sazonalidades de um ano e outro.

Vendas online no Dia das mães

As compras online no período do Dia das Mães, gerou um valor aproximado a R$ 7 Bilhões, afirma Neotrust. O levantamento aponta que essa alta foi equivalente há 15% em relação ao ano passado. Muito parecido ao cenário de 2020, com o comércio físico fechado na maior parte do Brasil, os brasileiros recorreram a internet para garantir o presente das mães.

Para algumas empresas foi considerado o melhor Dia das Mães dentro de um período de 5 anos, sendo um resultado maior do que estava sendo esperado. Com a possibilidade de ter maior economia e variedade dentro do e-commerce, os consumidores estão optando cada vez mais por comprar online. E os números mostram que o e-commerce está cada vez mais sólido no hábito de consumo dos brasileiros.

Apesar desses resultados, é preciso se preparar para as próximas datas comerciais, uma vez que o Dia das Mães, sendo a principal data comercial do primeiro semestre, trouxe os resultados esperados para o período.

Projeção para o Dia dos Namorados

Dia das Mães mal terminou e os lojistas de todo o Brasil já estão de olho na próxima grande aposta do mercado: o Dia dos Namorados. A data cresceu 63% em volume de pedidos e 91% em faturamento entre 2019 e 2020, movimentando R$ 4,1 bilhões em receita[4], conforme dados da Ebit|Nielsen e Bexs.

Vale lembrar que o Dia dos Namorados no Brasil fica atrás apenas do Natal e Dia das Mães quando o assunto é compras online em datas comemorativas. Por essa razão, o comércio estima um crescimento de 2,5% nas vendas no Dia dos Namorados 2021. Esse número gira em torno de R$ 1,65 bilhão, com a taxa de inflação já descontada.

Essa expectativa de crescimento deixa nítido o potencial da sazonalidade para o e-commerce em 2021. E como a demanda por ofertas na data já está crescendo, preparar ações com antecedência é decisivo para o sucesso de vendas no dia 12 de junho.

O varejo tem buscado formas de atrair os consumidores e, claro, aproveitar a movimentação em torno das datas comemorativas. Neste momento, quem tiver operação omnichannel, sai na frente por conseguir um destaque muito maior. E o trade marketing digital, é peça fundamental nesse momento, pois ele que leva a experiência do ponto de venda físico para os e-commerces. A comunicação com os consumidores através de conteúdo especial e exclusivo em vitrines digitais e landing pages se faz necessária para que o consumidor tenha toda a informação sobre o produto e tome a decisão de compra quando ele está na página do produto escolhido.

Gostou? Entre em contato conosco e saiba como levar essa experiência para seu cliente e aumentar suas vendas também.


[1] Índice MCC-ENET – Neotrust [1]

[2] Relatório Dia das Mães 2021 – Neotrust

[3] Dados da Ebit|Nielsen e Bexs.

Você sabe o que é o Mapa de Calor?

#Standout Explica

Os consumidores estão cada vez mais exigentes, e com isso, as ações de vendas tornam-se ainda mais desafiadoras. Para aumentar a força das estratégias, as empresas têm aderido buscado soluções focadas na coleta e análise de informações. Hoje o Standout Explica irá falar falará sobre o do Mapa de Calor, que é uma dessas soluções que tem destaque no mercado digital.

O “Mapa de Calor” foi originalmente utilizado para identificar áreas com maior ou menor grau de temperatura ambiental. Já brincaram de quente ou frio? Essa ferramenta usa espectros de cores quentes e frias para mostrar quais partes de uma página recebem mais atenção, ou seja, essa solução, assim como na brincadeira, ela vai te dizer qual área do seu conteúdo está chegando mais perto do objetivo que é agradar o seu cliente. O mapa serve para dimensionar o isolamento térmico e indicar o engajamento do shopper dentro do seu ambiente.

Qual importância dele?

Você acha que usuários navegam no seu site da mesma forma que você? Provavelmente não. Então, se quiser saber quais áreas recebem mais atenção dos visitantes, um mapa de calor lhe mostrará isso, de forma visual e fácil de assimilar para tomada de decisões. Isso porque alguns conteúdos se destacam mais do que outros, pela inclinação pessoal, hábito de navegação, tipo de negócio, etc. Daí a importância do mapa de calor.

Gerado por diferentes ferramentas, o Mapa de Calor pode oferecer um diagnóstico do seu conteúdo e indicar como as pessoas navegam por ele. Considerando o fluxo de pessoas que circulam pela área, o Mapa de Calor pode ajudar o negócio a potencializar as vendas. Quando a empresa utiliza essa ferramenta, automatiza-se o processo de quantificação de fluxo de pessoas e dispõe os dados em um gráfico, tendo recursos visuais que permitem uma análise mais rápida e certeira assertiva. Ou seja, além da coleta de dados, é importante ter uma ferramenta para classificá-los e extrair informações úteis.

Como funciona o Mapa de Calor na Standout?

Essas ferramentas são flexíveis e permitem customizar as análises, segmentando as informações e disponibilizando-as em relatórios e gráficos de fácil leitura, oferecendo suporte de alto nível para decisões estratégicas do negócio.

A análise do Mapa de Calor da Standout, utiliza um tracking para determinar quais áreas os leitores mais navegam. Estudos de heat maps permitem que você determine com mais precisão onde os elementos mais importantes da sua vitrine devem ser colocados a fim de atrair o seu público. Se o seu conteúdo principal está em uma área de baixa visibilidade, por exemplo, o Mapa de Calor pode não apenas apontar o problema, mas também lhe mostrar onde serão obtidos os melhores resultados.

Com o Mapa de Calor da Standout, será possível realizar testes de conteúdo, análises de interesse e engajamento para propor o formato mais atraente e eficiente para a apresentação da comunicação.

Você sabe como seu cliente navega e onde é relevante colocar as informações? Então, entre em contato conosco e iremos te ajudar com isso!

Quais as responsabilidades do TI na Standout?

#Standout Explica

O time de TI traz vida a Standout, com eles toda nossa solução, tanto visual quanto operacional, é exibida para clientes, parceiros e consumidores com extrema qualidade.

Garantem todo o suporte necessário, fazendo com que a execução e disponibilidade de informações cheguem mais rápido e com eficácia ao usuário.

Todo o processo tem um monitoramento que faz as aplicações serem cada vez mais rápidas e caso necessite de uma intervenção, ela acontece de maneira imediata.

Estão sempre focados em criar soluções, novos projetos, sempre apoiando as demais equipes nas demandas internas e nas demandas dos nossos clientes. Um apoio necessário visando sempre a experiência do usuário e de retornos das informações obtidas pelos mais de 25 relatórios da solução Standout.

Um time dedicado visando tecnologia e um ótimo resultado!

A filosofia da Standout é sempre entregar o melhor resultado junto com as indústrias e nossos parceiros, e o time de TI tem a maestria desse processo, fazendo a ferramenta ser consolidada e flexível, adequando sempre a necessidade de quem é mais importante:
Você, nosso cliente e parceiro.

Quer saber desses processos e muito mais?
Entre em contato conosco

Você conhece o Marketing Verde?

O Trade Marketing Digital, está em total alinhamento com as novas diretrizes de ESG, afinal, sustentabilidade não é moda e sim uma necessidade.

#Standout Explica

É preciso refletir sobre perguntas que estão no dia a dia da sociedade, tais como: o que é mais sustentável, o digital ou o presencial? De fato, os investimentos realizados nessa área geraram crescimento mais rápido, mais empregos e melhores serviços? Os países estão colhendo benefícios consideráveis relacionados a essa transformação? E, principalmente, é possível, por meio das tecnologias digitais, promover o desenvolvimento sustentável de forma igualitária para a população mundial?

Quando se adota o marketing sustentável, conhecido como o Marketing verde nas estratégias das empresas, está colocando-se em prática os resultados da exigência dos clientes por opções sustentáveis. O seu foco é satisfazer às necessidades de seu cliente com o mínimo de impacto possível ao meio ambiente.

Temos uma série de pesquisas e todas elas trazem dados que atestam que a sustentabilidade é uma tendência que veio mesmo para ficar: 95% dos executivos, empresários e consumidores[1] estão atentos e preocupados com a preservação do meio ambiente e sustentabilidade; 87% dos consumidores preferem comprar [2]de empresas sustentáveis; 54% dos consumidores frequentemente ou sempre preferem marcas reconhecidas por cuidar do meio ambiente [3]; 42% deles se preocupam muito com as práticas sustentáveis de uma empresa ao comprar um produto[4].

Tecnologia e sustentabilidade

Os dois conceitos, tecnologia digital e sustentabilidade, frequentemente se reforçam mutuamente. Sem a tecnologia digital, é difícil, por exemplo, que as empresas consigam aliviar sua pegada poluente ou gerenciar resíduos. Em termos práticos, os dois conceitos, combinados adequadamente, podem gerar uma infinidade de benefícios.

As tecnologias digitais expandiram drasticamente a base de informações e diminuíram seus custos de aquisição e uso, o que, consequentemente, também reduziu os custos de transação e produção.

Ao superar barreiras de informação, as tecnologias digitais podem tornar o desenvolvimento mais inclusivo, democrático, eficiente e inovador, contribuindo para a evolução global sustentável e o atingimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), definidos pela Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU).

As tecnologias têm grande impacto na sociedade, e essas tendências refletem na cultura digital em contínua evolução, criando desafios e oportunidades para as organizações no mundo todo. Assim, temos que aproveitar essa rápida mudança tecnológica para tornar esse mundo mais digitalizado, próspero, sustentável, justo e inclusivo.

Como a Standout ajuda no Marketing Verde?

O Trade Marketing com os anúncios impressos pode ser muito oneroso em relação ao número de pessoas alcançadas. Porém, o custo para fazer uma campanha com materiais impressos, em média, é de R$1.500,00, investidos entre a criação de arte do panfleto, a impressão de 05 mil exemplares e a contratação dos promotores para distribuição, fazendo com que o Custo de Aquisição de Cliente (CAC) seja muito alto e os resultados desta ação não podem ser facilmente medidos. Mas de todos os problemas dessa ação, a colaboração em deixar a cidade mais suja, é a pior. As pessoas olham, amassam e jogam fora, muitas vezes na rua mesmo, portanto é ambientalmente nociva!

A Standout é uma startup de Inteligência de Trade Marketing Digital. Quando falamos em uma comunicação digital, tem-se uma grande economia gerada com eliminação do uso de papelaria e cartaz. O Trade Marketing Digital, está em total alinhamento com as novas diretrizes de ESG, afinal, sustentabilidade não é moda e sim uma necessidade.

E aí, já conheciam o marketing verde? Entre em contato conosco e ajudaremos destacar sua marca de uma forma consciente, além de poder medir de uma forma eficaz os resultados de suas campanhas.

[1] PwC, (2015)

2 FIEP, (2019)

3 Opinion Box, (2017)

4 Opinion Box, (2017)


Mulheres na liderança

Atualmente um dos temas mais discutidos é a igualdade de gênero dentro dos cargos de liderança em uma empresa. Mas, apesar de ser um assunto frequentemente em pauta ainda não encontramos essa mesma igualdade dentro das empresas. Estudos realizados até 2019 mostram que somente 3% dos líderes empresariais no Brasil são mulheres, um número que tem persistido ao longo dos últimos anos. Quando se leva em conta que pouco menos de 60% dos estudantes universitários são mulheres, a baixa participação feminina no topo das grandes empresas causa estranheza. Por que o número é tão baixo? Hoje falaremos sobre isso e também sobre a discrepância ainda maior quando tratamos de investimentos para liderança feminina nas áreas de tecnologia.

Em primeiro lugar vamos relatar dados importantíssimos extraídos de algumas pesquisas com esse mesmo tema. Em 2020 a Fortune 500 [1]anunciou número recorde de mulheres em cargos de liderança, porém esse percentual ainda sim é baixo com 7,6%. Ou seja, das 500 empresas, apenas 38 são comandadas por mulheres, enquanto as outras 462 possuem homens nos cargos mais altos do nível hierárquico. Mas por mais que seja um avanço lento, comparado aos demais anos é um valor significativo, com avanço de 58%, quando comparado a 2018.

Segundo dados do Ministério da Economia[2], as mulheres ocupam 43,8% dos cargos de gerência, 13,9% de diretoria e 27,3% de superintendência. Importante entendermos que esse número irá variar muito de acordo com a área e cenário que olhamos. A área de recursos humanos é a que mais possui diretoria feminina (23%), seguida por marketing (14%), finanças (14%) e jurídico (11%).

Agora quando falamos de inovação e tecnologia temos um outro tipo de contraste. As mulheres vêm ganhando mercado considerável na área de inovação e tecnologia, não apenas em altos cargos, mas como CEOs de suas próprias empresas. Cansadas de lutarem tanto para ganhar seu espaço mesmo possuindo alta qualificação, temos vistos cada dia mais o empreendedorismo feminino em alguns setores crescendo no Brasil. Segundo o estudo realizado pelo Distrito [3]em parceria com a B2MAMY e Endeavor, 46,2% das empresas são fundadas por mulheres. Porém, ao olhar para as empresas que têm em seu core a tecnologia e a inovação, chamadas startups, esse número cai drasticamente para 9,8%, sendo 4,7% fundadas exclusivamente por mulheres e 5,1% com fundação mista entre mulheres e homens. 

Quais os maiores obstáculos para essas mulheres?

Andrea Miranda fundadora da Standout é um grande exemplo para todas as suas colaboradoras e muitas mulheres no mercado tecnológico e empreendedorismo. Ela vem se destacando cada vez mais por suas conquistas e seu posicionamento. Fundadora e desenvolvedora de uma plataforma de trade marketing digital que é pioneira no Brasil, iniciou sua carreira desde cedo na área de tecnologia, e teve que lidar com muitos preconceitos, principalmente quando falamos do início dos anos 90. Andrea relata que sentiu na pele o preconceito não somente na época que cursava a faculdade com comentários machistas, como atualmente quando os executivos da sua equipe conseguem fechar um contrato em seu lugar pelo simples fato de serem homens. “Tanto o universo da tecnologia quanto das startups ainda são dominados pelo universo masculino e por isso encontramos muitos comportamentos machistas no nosso dia a dia”

Além da Andrea como desenvolvedora e criadora da plataforma, a Standout tem no departamento de tecnologia e desenvolvimento, a programadora Samanta Nakamura, que nos fala um pouco sobre esses desafios também: “Falando a real, não tem dificuldade, se você tem capacidade, tem experiência, é só executar. Mas infelizmente estamos falando de uma área que ainda dominada por homens, então o nosso grande desafio é sempre ficar provando que temos total capacidade de fazer o que qualquer “homem” faz.”

Mas o machismo não termina com comentários pejorativos ou na escolha do sexo para fechar um contrato. Infelizmente muitos estudos apontam números gravíssimos quando falamos em investimentos para startups lideradas por mulheres. Quando levantamos dados sobre o tema, podemos trazer as seguintes informações para vocês. Em um estudo recente a Harvard Business Review mostra que essa desigualdade começa no pitch. Investidores privilegiam os pitchs de empresários ao de empresárias, mesmo quando o conteúdo do argumento de venda é idêntico. Isso se confirma quando olhamos os dados levantados pelo Banco Mundial, onde mostra que total de investimentos de risco nos mercados emergentes, apenas 7% são destinados a negócios liderados por mulheres.  No Female Founders Report realizada pelo Distrito em parceria com a B2MAMY e Endeavor, podemos ver que apesar de serem 4,7% do ecossistema, startups fundadas só por mulheres, apenas 0,04% do total aportado em 2020. Ao longo dos últimos 10 anos o volume investido em startups fundadas por mulheres evoluiu de maneira tímida. Em 2010 nenhum volume de capital foi destinado às empreendedoras, e agora, 10 anos depois, o volume destinado continua muito baixo, sendo de apenas 2,2%. Esses valores mostram como ainda há uma dificuldade para mulheres fundadoras captarem investimentos no setor de inovação.

Podemos analisar que as mulheres enfrentam diversos outros obstáculos como esses e até mesmo o assédio moral, durante sua busca por capital, apenas pelo fato de serem mulheres. Isso nos mostra que, infelizmente, gênero é relevante para alguns fundos de venture capital, sendo levado em conta no processo de tomada de decisão pelo investimento. Segundo uma análise da Fundação Getulio Vargas (FGV)[4] com 247 mil mulheres entre 25 e 35 anos, metade das que tiveram filhos perderam o emprego até dois anos depois da licença-maternidade. A dificuldade em se recolocar pós-maternidade, outras decisões pessoais ou encontrar menos oportunidades de promoção que homens também justificam a desacelerada na vida profissional, geralmente quando elas alcançam a média gerência.

Benefícios de ter mulheres na liderança de uma empresa

Quando olhamos para os estudos e dados que o mercado nos traz em relação aos benefícios da liderança feminina, temos a percepção de como toda essa desigualdade de gênero nos atrasa e influência no retrocesso do crescimento das empresas. Segundo uma pesquisa da Mckinsey, o resultado financeiro das empresas com mais diversidade de gênero é 21% maior do que o das empresas com menor grau. Agora, segundo dados da Organização Internacional do Trabalho, [5]empresas que monitoram o impacto da diversidade de gênero na liderança reportam crescimento de 5% a 20% nos lucros. Um outro estudo feito pelo fundo de capital de risco First Round Capital[6] apontou que as startups fundadas por mulheres apresentam performance 63% melhor. Ainda neste sentido, segundo o Boston Consulting Group, a cada dólar que uma mulher fundadora ou cofundadora levanta, ela gera 2,5 vezes mais receita do que um fundador do gênero masculino.

E por mais que o cenário atual apresente essa discrepância nas lideranças, ainda sim é um afago para todas as mulheres ver o crescimento da porcentagem mesmo que muito tímido, pois nos dá esperança e força para continuarmos batalhando. Em uma pesquisa anual focada em liderança na indústria de tecnologia realizada pela consultoria KPMG em parceria com a empresa de recursos humanos e tecnologia Harvey Nash,[7] a participação de mulheres em posições seniores em tecnologia na América Latina é atualmente de em 16%. A Revelo, mostra em um levantamento que a inserção feminina no mercado de trabalho brasileiro vem sofrendo transformações e avanços que já podem ser percebidos em algumas áreas. E por último, um outro dado que merece destaque é o aumento da contratação de mulheres em carreiras de tecnologia. Em 2017, elas respondiam por 10,9% das vagas, já em 2020, o número subiu para 12%. O aumento da liderança feminina em tech está muito ligado também ao surgimento de programas específicos para trazer mais mulheres para o mundo de tecnologia antes mesmo do ensino superior, aumentando o incentivo a todas elas.

As empresárias têm se destacado por possuírem habilidades que podem agregar aos negócios, como sensibilidade, capacidade de lidar com vários assuntos e problemas ao mesmo tempo, criatividade e visão sistêmica. Mas é importante ressaltar que as habilidades femininas e as masculinas não devem ser comparadas, mas complementadas dentro de uma empresa e em um ambiente de inovação. Nós mulheres não buscamos ser melhores ou únicas nas corporações, mas sim a igualdade e respeito nas conquistas por mérito. Devemos todas batalhar, e nos esforçar para alcançarmos a liderança, sem seremos subjugadas ou desmerecidas pelo nosso gênero.


[1] Fortune 500 (2020)

[2] Ministério da Economia (2019)

[3] Female Founders Report (2021)

[4] Think Tank – Edição Especial Annual Report (2017)

[5] Organização Internacional do Trabalho (2019)

[6] First Round Capital (2020)

[7] CIO Survey, da KPMG e Harvey Nash (2020)

Você já ouviu falar do time de Match?

#Standout Explica

Já sabemos que a STANDOUT impulsiona a taxa de conversão: publica, distribui e analisa vitrines de produto para sites de e-commerce num formato inovador, pensado e desenvolvido especialmente para essa nova mídia. Mas você já parou para pensar como é feita essa distribuição em tantos e-commerce de uma forma tão rápida? Então vem com a gente, que hoje no Standout Explica, vamos te contar como funciona por trás das máquinas.

Na Standout temos uma equipe especializada em Match. Eles são responsáveis por fazer com que todos os conteúdos desenvolvidos na ferramenta sejam distribuídos, de forma correta em mais de 200 e-commerces parceiros. É aqui também que eles realizam o “match” entre o conteúdo e o produto e por isso o nome da área.

Essa conferência é realizada diariamente com o auxílio de diversos relatórios que buscam constantemente novos pontos ativos no varejo que são passiveis de receber nossos conteúdos. E além de toda a inteligência dos diversos relatórios, nossa equipe realiza um “double-check” procurando manualmente os novos pontos ativos.

Após extrair os relatórios, a equipe garante que o novo ponto ativo receba o conteúdo correto e garante que tal conteúdo já esteja disponível para o consumidor o mais rápido possível.

Atualmente cadastramos mais de 6 mil pontos de vendas ativos por mês, tendo períodos em que esses números chegam a mais de 8 mil, além de possuir mais de 45 mil pontos ativos em nossa base de dados.

Bacana né? Entre em contato conosco e venha conhecer de perto toda essa diversão. A Standout Além de ser pioneira nesse mercado de Trade Marketing também é a única que consegue distribuir em mais de 200 varejos e que sempre se preocupa em olhar caso a caso, para que possamos entregar conteúdos da melhor qualidade.