Varejo no mobile: um detalhe pode fazer suas vendas dispararem

O varejo é um negócio de detalhes (“retail is detail”, diz o famoso ditado em inglês). E o varejo mobile também é repleto de pontos de atenção que fazem uma grande diferença na experiência do cliente. Melhorias que tragam um aumento de performance nas páginas ou tornem a leitura mais fácil são sempre positivas. Afinal, deixam o consumidor mais confortável e disposto a se relacionar com sua marca. Quando esse processo é bem feito, o resultado é um aumento (muito aguardado!) da taxa de conversão e das vendas.

De cada cem clientes que acessam a página de seu produto em um e-commerce, em média 98 não compram. Esse motivo pode vir da busca do varejo que não ajudou o consumidor a encontrar o que ele estava procurando, ou porque a página do produto não despertou o desejo de consumo ou entre outras razões — até porque o checkout ainda é complicado. Alguns desses problemas podem ser evitados se a página do e-commerce estiver sempre adequada ao smartphone que o cliente está usando, independentemente do formato ou resolução da tela.

 

E-commerce responsivo

De acordo com uma pesquisa realizada pela Digitalks, sete em cada 10 consumidores afirmam que é fundamental que o e-commerce seja responsivo para eles concluírem a compra. Ou seja, ele deve se adaptar automaticamente ao tamanho da tela e às características técnicas do celular. Sites lentos e não responsivos são um dos principais motivos que levam o cliente a desistir. Ao deixar de considerar o smartphone que o cliente está usando, a indústria e o varejo perdem vendas.

Uma pesquisa aponta que quase 60% dos consumidores que acessam páginas que contam com a solução de trade marketing digital estão navegando em smartphones. Desses acessos mobile, apenas pouco mais de 21% são realizados a partir de equipamentos mais novos da Apple, Samsung (Galaxy J8+) ou Lenovo/Motorola G5+. A imensa maioria dos acessos acontece a partir de equipamentos com resoluções e tamanhos de tela menores que os modelos mais recentes.

Ao levar esses números em consideração, o desenvolvimento das páginas de produto nos sites precisa considerar alguns pontos. São eles:

  • o volume de informação a ser disponibilizado;
  • a quantidade de texto;
  • as funcionalidades interativas.

Tudo para que qualquer cliente, em qualquer celular, receba as informações mais importantes sobre o produto que está considerando para a compra.

Análise do smartphone

Algumas agências de publicidade, e até mesmo o departamento de marketing de algumas indústrias, nem sempre conseguem analisar o tipo de smartphone que o consumidor utiliza. Com isso, podem cair na armadilha de focar em utilizar os recursos mais novos disponíveis para os equipamentos de ponta. E, consequentemente, deixar de considerar a experiência da maioria dos clientes, que utiliza modelos mais antigos de celular.

É preciso trabalhar em parceria com as agências para elas terem todas as informações, criarem os melhores conteúdos possíveis e entregarem experiências excelentes aos clientes. Cuidar de todos os detalhes da responsividade de forma transparente, deixando com a agência apenas a preocupação com a comunicação, pode ser uma boa estratégia. Essa parceria irá gerar frutos para a indústria, que garante uma presença sempre relevante com o cliente. E também para o varejo, que amplia sua taxa de conversão na página de produtos e, automaticamente, vende mais.

A responsividade dos sites é um dos aspectos mais importantes da experiência de compra dos clientes mobile — por isso não pode ser negligenciada. Sempre leve em conta o tipo de celular que os consumidores usam e adapte sua comunicação às características dos principais equipamentos do mercado. O resultado você sente no aumento das vendas.

Estratégia de vendas: Conteúdo vende, e muito.

O E-commerce Brasil, maior portal brasileiro de e-commerce, publicou nessa quarta-feira (12/02/2020), artigo feito por Andrea Miranda, CEO da Standout. Onde explica quão importante é ter estratégia para vendas online. Confira abaixo:

“Ter uma estratégia de vendas online não é uma opção e, sim, uma necessidade. Atualmente, 27% da população brasileira já compra pela internet e em 2018 o varejo online apresentou um crescimento de 12%, contra 2,3% do varejo como um todo.

Motivados pela conveniência de comprar a qualquer momento, pela praticidade de não precisar se deslocar a uma loja – onde o produto talvez nem esteja disponível – e estimulado pela possibilidade de obter mais informações, os consumidores assumem um comportamento cada vez mais digital.

Digital e mobile

Segundo o relatório Webshoppers, os acessos a sites de e-commerce a partir de smartphones saltaram 40% em 2018 e representaram 42,8% de todos os acessos no início deste ano. Para quem está no e-commerce também é preciso pensar primeiro no mobile.

O cliente está o tempo todo com seu celular nas mãos (segundo o Google, em média acessamos nossos smartphones 150 vezes por dia) e, com isso, quem desenvolve uma boa estratégia mobile tem mais chances de estabelecer um relacionamento duradouro com o consumidor.

No momento de estabelecer o relacionamento com o consumidor, grande parte do varejo online continua pecando. De acordo com o relatório anual do E-commerce Radar, a taxa média de abandono de carrinho (quando o cliente
adiciona algum produto e não finaliza a compra) é de 82%.

Para a indústria, isso significa uma grande oportunidade perdida. Todo o investimento realizado para atrair o consumidor para sua marca é desperdiçado quando a navegação no site é confusa, a página de produto não desperta o desejo de consumo ou o processo de checkout é complexo.

Embora boa parte das ações de melhoria da experiência de consumo seja de responsabilidade do e-commerce, a indústria não está de mãos atadas. Assim como acontece no ambiente físico, em que ações de trade marketing e
ativações no PDV influenciam diretamente a decisão de compra do consumidor no e-commerce é possível gerar diferenciação para as marcas nas páginas de produto.

 

Estratégia de vendas

No ambiente digital, o cliente pode comparar rapidamente todas as possibilidades de marcas e preços. Ainda assim, segundo o eBit, 56% dos consumidores desistem de comprar por não ter informações suficientes sobre os itens que desejam adquirir. Trabalhar com imagens, vídeos e conteúdo relevante é uma forma de alcançar uma diferenciação importante, oferecer informações no contexto desejado pelo cliente e estimular as vendas.

Quando a indústria produz uma vitrine para um produto, apresentando um layout interessante e interativo, imagens, textos e vídeos com explicações de como usar, dicas de especialistas, receitas e outras informações relevantes para
o universo do consumo daquele item. Além disso, entrega esse conteúdo de forma responsiva para que tenha boa leitura em qualquer aparelho mobile. Com isso, a indústria se destaca em relação a seus concorrentes.

Por ser feita pela própria indústria, a comunicação é elaborada por especialistas e está naturalmente alinhada aos pontos de contato offline, quer seja mídia impressa, tv ou ações de trade no pdv, complementando essa mídia tradicional. Depois que a publicidade atrai o cliente, a vitrine online dá sequência ao discurso da campanha, garantindo que o consumidor receba uma mensagem consistente durante toda a jornada de compra.

O resultado é um aumento significativo das vendas. Dos nossos clientes que passaram a produzir vitrines online com mais informações relevantes contextualizadas sobre seus produtos, vimos um aumento médio de vendas de 60%, com um crescimento de 252% no tempo médio dos usuários nas páginas, além de um aumento médio de 25% no fluxo de público. São mais pessoas interagindo por mais tempo com sua marca e gerando resultados efetivos de venda.

A indústria tem caminhos para melhorar o desempenho das vendas online obter uma real diferenciação em relação aos concorrentes. As respostas se tornam mais visíveis quando saímos do jeito tradicional e pensamos em como o
cliente se comporta e na experiência que ele gostaria de ter no momento de decisão de consumo. Os resultados compensam e muito!”

FONTE: E-commerce Brasil – Estratégia de vendas: Conteúdo vende, e muito.

 

Trade Marketing Digital x Trade Marketing Tradicional.

O Trade Marketing é uma das maiores estratégias utilizadas pelas marcas no mercado mundial. As empresas investem em Trade Marketing, em média, de 10% a 15% de seu faturamento. Mas muita gente se pergunta a diferença entre o Trade Marketing Digital e o Tradicional.

No trecho do vídeo abaixo, nossa CEO, Andrea Miranda explica com clareza essa diferença e, como ambos são necessários atualmente.

 

Standout é pioneira em inteligência de trade marketing digital no Brasil.

Com os avanços tecnológicos, a forma como adquirimos ou vendemos um produto mudou. Agora, o consumidor se informa e compra cada vez mais pela internet. De acordo com o último relatório Webshoppers, do Ebit|Nielsen, 36% da população já é digital buyer, fazendo do Brasil o país com maior faturamento no digital commerce na América Latina. O cliente tem se tornado mais exigente, buscando uma experiência cada vez mais simples, fácil, rápida e personalizada.
De olho em oferecer facilidades para o momento da compra online, a Standout desenvolveu uma solução de inteligência em trade marketing digital, ajudando marcas e indústrias a falarem diretamente com os seus públicos no último ponto de contato digital, que é a página de produtos dos e-commerces, apoiando o consumidor no momento da decisão.
“Até antes da Standout, não era possível trazer as ações de trade marketing do mundo físico para o ambiente digital.” Explica Andrea Miranda, CEO da Standout.
A Standout pode disponibilizar conteúdos dos produtos de seus clientes em qualquer e-commerce do Brasil e do mundo, e hoje já disponibiliza esses conteúdos em real time em mais de 100 grandes varejos, o que pode gerar um aumento médio de 60% das vendas online.
FONTE: Radar do futuro – A pioneira da inteligência para o trade marketing digital no Brasil
Veja mais em:

Pensar no consumidor online é primordial

A utilização de plataformas digitais para entretenimento, compras e pesquisas é parte do cotidiano dos consumidores. Focando em compras, podemos notar uma alta na taxa de gastos nas lojas online. E por que isso acontece?
O e-commerce (loja virtual) proporciona aos consumidores diversas comodidades que uma loja física provavelmente não proporciona. O cliente que compra online quer encontrar o melhor produto para a sua necessidade.
No ambiente digital, ele pode comparar rapidamente todas as possibilidades de marcas e preços de produtos, além de ter a liberdade para escolher o que precisa com tempo. Esse cenário faz com que muitos apreciem o produto no ponto de venda físico, mas finalize sua compra com calma no ambiente online.
O cliente quer informação sobre o produto e muitas vezes ele só encontra isso com um vendedor pessoalmente, fazendo com que recorrentemente a compra seja adiada.
Você tem que se destacar na loja online!
Vender para esse público requer grande destaque. A realidade de consumo hoje passa por uma geração impaciente que busca e decide de forma rápida e online, por isso é importante conhecer o interesse do seu consumidor e investir para que o conteúdo do seu produto seja recebido de forma clara e atenciosa, influenciando positivamente na decisão da compra.
Como investir no consumidor online?
Esse público necessita de estímulos, e ele vai comprar de quem oferece as informações que ele procura. Assim, trabalhar com imagens, vídeos e conteúdo relevante é a forma de se diferenciar da concorrência.
A Standout proporciona isso. Especializada em inteligência de Trade Marketing Digital, desenvolvemos uma solução para apoiar o consumidor no momento da decisão final de sua compra online. A ferramenta auxilia as empresas a falarem diretamente com os seus públicos, o que pode gerar um aumento médio de 60% das vendas online.
Na prática, a empresa que contrata a Standout pode disponibilizar conteúdos dos produtos de seus clientes em qualquer e-commerce do Brasil e do mundo, e hoje já disponibiliza esses conteúdos em real time em mais de 100 grandes varejos, com potencial para intensificar as vendas.
A Standout, está entre as 100 Startups to Watch de 2019, é 1ª colocada no Latam Retail Show Start Me Up e coleciona prêmios como o Like a Boss, do Sebrae Top 5 Profissional de Vendas no Prêmio E-commerce Brasil, além de ser Top 2 Varejo e Top 5 Marketing no 100 Open Startups por 4 anos consecutivo (de 2016 a 2019).
Dentre as mais de 100 marcas no seu portfólio, estão: Dove, Rexona, Comfort, OMO, Knnor, Mãe Terra, Veja, Vanish, Jontex, Olla, Acnase, Dermacyd, Novalgina, Dorflex, Accu-Chek, Tacitá, G-TECH, Skol, Loceryl, Benicar, Helioderm, Tennys pé e Chamyto.
Aproveite a nossa solução. Entre em contato conosco.